Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

“Se você tiver um espírito de aventura ao se aproximar de cada nova pessoa que encontrar, vai ficar infinitamente fascinado pelos canais de pensamento, de experiência e de personalidade com os quais vai se deparar.”

Após a experiência contagiante com o “Festival de Filmes na Montanha” em que os Azuis estiveram presentes, Eleanor Roosevelt nos inspira e abre a semana confirmando quanto o ato de se abrir a novas experiências é tão importante compartilhá-las e o quanto encontramos parceiros pelos caminhos. Definitivamente, não estamos sós!

Boa semana de aventuras Azuis! 

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

"A corrida é a melhor atividade contra o câncer de mama"

Passado o “Outubro Rosa” – Prevenção do Câncer de Mama – e ingressando hoje no “Novembro Azul”.  – Prevenção do Câncer de Próstata –, não há dúvida: a atividade física regular, como a corrida, especificamente, é das mais fortes ferramentas contra os riscos da vida sedentária, um palpável fator de risco para as doenças cardiovasculares e confirmou-se para o surgimento do câncer de mama, entre outros.

"A corrida é a melhor atividade contra o câncer de mama", afirma Nabil Ghorayeb, doutor em cardiologia pela FMUSP.

(euatleta.com)

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

“Cada um de nós tem o seu lugar no mundo, talvez a ninguém caiba o do centro. Nas nossas relações com o mundo, com os outros e conosco, é mais sábio aceitar do que impor, admirar do que exibir, amar do que procurar ser amado...

Ser autenticamente feliz depende de uma transformação na forma de olharmos o mundo, aceitando-o sem grandes condições e agindo sem precipitações. É essencial compreender a realidade, viver de olhos abertos, acolher a simplicidade da vida antes de querer resolver a complexidade do mundo.

Há que abrir espaços em nós para que a serenidade que assim se alcança convide a felicidade a fazer do nosso espírito morada sua.”

O português José Luís Nunes Martins inspira nossa semana com fragmentos de sua crônica: “Aprender a Ceder”, então que este princípio nos (re)una, pois as relações mais saudáveis são aquelas em que há os sentimentos equânimes de respeito, amorosidade e bem querer.

Boa semana!

Prevenção, Saúde e Estilo de Vida: by Joaquim Ferrari

A caminhada permanece como o exercício mais frequente entre os brasileiros, segundo pesquisa divulgada ontem (24/10) pelo Ministério da Saúde.

O estudo –  Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) – foi realizado pelo ministério em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP e ouviu 53.000 pessoas nas 26 capitais e no Distrito Federal e confirma que há redução de 20% a 30% de mortalidade por doenças crônicas entre quem pratica atividade física regular.

“Fazer exercício significa uma qualidade de vida melhor e uma quantidade de vida maior”, defende Ricardo Munir Nahas, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. 

Sábado...

Paineiras...

Azuis...

Saúde...

Família...

União...

Transformação...

Hoje!

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

Não é o acúmulo do ter, senão do ser, que amplia nossas visões. Fernando Pessoa já dizia: “A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos.” 

É por isto que uma mesma experiência tem distintas interpretações, e no fundo, serão várias experiências, cada qual com as significâncias e construções pessoais. Ainda assim, são os valores comungados, compartilhados e construídos que também influenciam neste ser. 

É por isto que ser um Azul é primar pela gentileza, pela bondade, pelo crescimento de si, mas muito mais do outro, porque o resultado das nossas visões são também herdados. E se a herança deve ser compartilhada com um maior número de pessoas, nós começamos a nossa multiplicação desde já.

Uma semana Azul!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Tomar banho com água fria pode representar vários benefícios à saúde. Nos treinos de sábado, nas Paineiras, a ducha natural fria completa nosso programa e com isto confirmamos que:

1. É um despertador Corporal
2. Faz bem para a pele e cabelo 
3. Aumenta a força mental
4. Ajuda ao ambiente
5. Melhora a circulação sanguínea
6. É anti-stress
7. É um recuperador muscular

A água fria aumenta a taxa de fluxo sanguíneo pelo corpo, bombeando mais sangue para todos os órgãos, isso beneficia o sistema cardiovascular. Além disto, o choque térmico que acontece faz o sistema nervoso periférico enviar impulsos eléctricos para o cérebro, que produzem um efeito anti-depressivo e calmante. A exposição à água fria também ajuda os músculos a se recuperarem para a carga seguinte de treinamentos. Após o esforço físico, quanto mais rápido se for para a água fria, melhores serão os resultados.

Hoje é o dia!

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

“Os amigos têm de ser inúteis. Isto é, bastarem só por existir e, maravilhosamente, sobrarem-nos na alma só por quem e como são. O porquê, o onde e o quando não interessam.

A decadência da amizade entre nós deve-se à instrumentalização que tem vindo a sofrer. É por isso que as amizades se fazem e desfazem como se fossem laços políticos ou comerciais. Se alguém “falta” ou “não corresponde”, se não cumpre as obrigações contratuais, é logo condenado como “mau” amigo e sumariamente proscrito.

A amizade não tem ponto de partida, nem percurso, nem objetivo. A glória da amizade é ser apenas presente. É por isso que dura para sempre; porque não contém expectativas nem planos nem ansiedade. 

Os amigos nunca são para as ocasiões. São para sempre.”

(Miguel Esteves Cardoso em “Explicações de Português”)

Porque além de tudo, nossos alunos são também nossos amigos.

Para sempre Azuis!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Hoje é Dia das Crianças, mas muito além de presentes e consumo é preciso estar ao lado dos filhos. Passar o dia juntos e resgatar brincadeiras antigas e sustentáveis fará um bem danado para pequenos, mas também para os pais. Isto é saúde, isto é prevenção!

Reutilizar as latas que iriam para o lixo e usá-las para a brincadeira “Pé de Lata”; reaproveitar os sacos de batata ou farinha e fazer a “Corrida de Saco”; construir um rolimã com madeiras, ou simplesmente pular corda são boas opções para exercitar este brincar.

Não é à toa que as pesquisas, como as publicadas no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism” e na revista “Pediatrics”, comprovam que quanto mais ativos são os pais, mais ativas, bem humoradas e menos estressadas serão as crianças.

Um Dia das Crianças Azul!

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

Outro dia, tive o privilégio de almoçar com um amigo de seus 70 anos. Falamos pouco de negócios e, meio sem querer, disse a ele:

-"Pois é. Empresário, hoje, tem de matar um leão por dia".

Sua resposta, rápida e afiada, foi:

-"Não mate seu leão. Você deveria mesmo era cuidar dele".

Fiquei surpreso com a resposta e ele me disse:

"Existe um ditado popular antigo que diz que temos de "matar um leão por dia". E por muitos anos, eu acreditei nisso. A vida foi passando e cheguei aos meus 60 e decidi que era hora de meus filhos começarem a tocar a firma. Mas qual não foi minha surpresa ao ver que nenhum dos três estava preparado! Hoje, do alto dos meus 70, eu tenho uma suspeita: a culpa foi do leão. Porque, desde quando meus filhos eram pequenos, dei tudo para eles e ao dar tudo a eles, esqueci de dar um leão para cada, que era o mais importante. 

Aprendi que somos o resultado de nossos desafios. Aprendi que, quanto mais bravo o leão, mais gratos temos de ser. Por isso, aprendi a não só respeitar o leão, mas a admirá-lo e a gostar dele, porque o dia em que o leão, em nossas vidas morre, começamos a morrer junto com ele.”

Este fato, contato por Pierre Schurmann, abre nossa semana. É por isto que não matamos o leão, afinal este leão azul é nossa força! Ame também seu leão!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Quanto maior o tempo de cozimento dos alimentos, maior será a perda nutricional, especialmente da vitamina C e proteínas. A prioridade deveria ser o consumo de alimentos crus, que preserva suas enzimas e vitalidade. Entretanto, é importante se considerar que há compostos, como o licopeno – encontrado em alimentos de cor avermelhada como o tomate – , que estão em maior teor nos alimentos cozidos. Ainda assim, o melhor cozimento é na modalidade do vapor.  

O indicado é mantermos uma Alimentação Azul – saudável, saborosa, sustentável e conscientemente preventiva – !

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

“Sem memória não há vida.”

Ivan Izquierdo, professor e médico, abre nossa semana e nos esclarece que a vida é uma sequência de memórias e está intimamente ligada ao bom funcionamento do nosso corpo. Todos os processos metabólicos de qualquer organismo são sequências de processos bioquímicos bem estabelecidos onde cada um depende do anterior. O coração precisa lembrar que fez uma sístole para bioquimicamente ter condição de fazer uma diástole. E é nesse processo de saudável rememoração que lembramos daquilo que fomos para compreendermos aquilo que somos, bem como daquilo que seremos. 

Uma semana de boas memórias Azuis!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Base alimentar de solteiros, estudantes e os que alegam falta de tempo à cozinha, o macarrão instantâneo, mais conhecido como miojo, pode aumentar o risco de alterações metabólicas ligadas às doenças cardíacas e acidente vascular cerebral nas pessoas. Um estudo de Harvard, que analisou a dieta de 11000 coreanos, povo que, conhecidamente, mais consome este produto no mundo, afirma que este alimento contém altos teores de gorduras saturadas e carga glicêmica.

O seu consumo em excesso e seu tempero são os grandes violões deste produto. Segundo pesquisas o tempero pronto possui um volume de sódio 16% superior ao que o corpo humano deve consumir por dia!

A notícia serve de alerta e muito bom seria se valesse o ditado: “O apressado come cru”, para, apressadamente, se fugir dos miojos e trocá-los por um prato crudívoro!

Que tenhamos uma Alimentação Azul!

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

experiências.JF.jpg

Como saberemos que determinada experiência é aquela que necessitamos? 

“De uma coisa podemos ter certeza: a vida nos proporcionará todas as experiências que forem as mais úteis à evolução de nossa consciência. Como saberemos que determinada experiência é aquela que necessitamos? Porque ela será a experiência pela qual estaremos passando no momento." Eckhart Tolle

Por isto, aproveitemos nossos momentos, eles são responsáveis por nossa evolução. Cada quilômetro rodado, cada transição superada, cada etapa vencida e por fim, cada competição passada foram necessárias para marcamos nossa expansão. 

Uma semana Azul!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Veganos não ingerem mel, mas é importante conhecermos suas propriedades e também compará-las com o melado de cana, que é 100% vegetal. 

Em termos de aspectos visuais e possibilidades de substituição, o melado se assemelha ao mel, que tem origem animal. Por exemplo, quando se pega 200 ml de caldo de cana e o desidrata, obtêm-se 5,7 colheres de sopa de melado, 1,5 de açúcar mascavo, e, quando refinado, 1,4 de açúcar branco. Portanto, quanto mais processado é o produto, mais calorias ele oferece em menor volume. 


O melado é discretamente menos calórico que o mel, que, por sua vez, tem um pouco a mais de vitamina C e B1. Os demais nutrientes (ferro, fósforo, manganês, potássio, por exemplo) são encontrados em maior quantidade no melado de cana. 

Uma alimentação saudável é uma Alimentação Azul – saudável, saborosa, sustentável e conscientemente preventiva – !

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

     “A questão não é o que nos leva à experiência, mas o que nos acontece ao chegarmos lá.” Marianne Williamson       E se algo muda dentro de nós, isso é a prova de que mudanças são possíveis. Muitas pessoas dizem: “sou assim e não há jeito, não vou mudar”. Entretanto, sempre podemos buscar novas rotas, entrar em novos caminhos e percorrer outros percursos. A atividade física é a prova disto, não importa o que nos levou ao jogo, o significante é que nos dispomos a entrar nele e o que nos acontece com ele. O game nunca é over!

 

“A questão não é o que nos leva à experiência, mas o que nos acontece ao chegarmos lá.” Marianne Williamson

 

E se algo muda dentro de nós, isso é a prova de que mudanças são possíveis. Muitas pessoas dizem: “sou assim e não há jeito, não vou mudar”. Entretanto, sempre podemos buscar novas rotas, entrar em novos caminhos e percorrer outros percursos. A atividade física é a prova disto, não importa o que nos levou ao jogo, o significante é que nos dispomos a entrar nele e o que nos acontece com ele. O game nunca é over!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Qual a quantidade de água que devemos beber por dia?

Errou quem respondeu 2 litros de água.

Este é um mito cientificamente derrubado, pois afinal devemos ingerir líquidos, e não necessariamente água – há muita água nos alimentos – , e a quantidade depende de fatores como: clima, massa corporal, consumo alimentar, atividade física e idade. Esportistas, por exemplo, necessitam de uma quantidade maior de líquidos.

Então, quanto devemos ingerir? A recomendação do Guia Alimentar da População Brasileira é muito simples: a quantidade que o organismo pedir!

Fonte: Guia Alimentar da População Brasileira/Ministério da Saúde 

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

blue run I.JF.jpg

“Não deixe seu fogo sair, faísca por insubstituível faísca, nos pântanos impossíveis do quase, do não completamente, do não ainda, do de modo algum. Não deixe o herói em sua alma perecer, na frustração solitária pelavida que você mereceu, mas nunca pôde alcançar. Verifique sua estrada e a natureza de sua batalha. O mundo que você desejou pode ser conquistado. Ele existe, ele é real, ele é possível, ele é seu.” (Ayn Rand, filósofa)

Uma semana Azul!

Prevenção é Saúde e Estilo de Vida by Joaquim Ferrari

Sou diabético, posso correr???

O diabetes é uma doença crônica ligada a um colapso na forma como o corpo processa o açúcar. Segundo pesquisa do Ibope de 2013, em três anos o número de pessoas com diabetes pulou de 7,6 milhões para 13,4 milhões. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, 62% dos brasileiros possuem pelo menos um fator de risco para o desenvolvimento da doença.

Lidiane Indiani, endocrinologista e educadora em diabetes, explica que, tanto para diabetes tipo I, quanto para a tipo II, praticar esportes ajuda no controle da doença, diminuindo a resistência do corpo à insulina.

Deve-se ter apenas como precaução saber como esta sua glicemia no momento que irá iniciar uma atividade física, realizando assim um teste de glicemia capilar.

Sendo assim, “Sou diabético, posso correr???”, a resposta é: sim, com acompanhamento profissional, sem dúvida!!!!

obs: o círculo azul representa o apoio à Resolução das Nações Unidas sobre Diabetes.

Pra Começar a Semana by Joaquim Ferrari

 

Ensinar não é transferir conhecimento, é criar a possibilidade de produzi-lo, já dizia o grande educador Paulo Freire. Sem dúvida, o que ele diz se aplica ao nosso dia a dia e prática profissional. Incentivar, clarear caminhos, propor desafios são ações inerentes ao que fazemos e por isto amamos o que fazemos. E hoje, no Dia do Profissional de Educação, queremos continuar criando possibilidades aos nossos alunos.

Um abraço dos profissionais de Educação Física da equipe, graduandos e já graduados:

Carol, Guilherme, Joaquim e Natácia!

Uma semana Azul!

Por que não utilizar fones de ouvido durante a corrida. by Joaquim Ferrari

Estudo alerta para risco de perda de audição para quem usa MP3 players

RIO - No ano de 2006, o guitarrista da banda "The Who", Pete Townshend, surpreendeu os fãs ao expressar preocupação com os possíveis danos à audição daqueles que usam tocadores de música digital de forma indiscriminada. O músico abriu seu coração ao afirmar que ele mesmo teve a audição prejudicada por anos a fio de uso de fones de ouvido em estúdios. Na época, Townshend já estava enfrentando problemas profissionais por conta da perda de audição - sempre que participava de uma sessão de gravação em estúdio, ele precisava de 36 horas para que seus ouvidos se recuperassem.

Dois anos depois da confissão do guitarrista, um estudo divulgado pelo Comitê Científico para riscos de saúde emergentes e recentemente identificados da Comissão Européia alerta para os riscos iminentes de surdez para os usuários de MP3 players.

De acordo com o estudo, entre 5% e 10% dos usuários que, por um período de pelo menos cinco anos, escutam música com aparelhos portáteis durante mais de uma hora por dia, em alto volume, podem ter perda permanente da capacidade auditiva. Afinal, qual é o risco real do uso prolongado dos players, celulares com a função embutida e fones de ouvido?

A "Digital" conversou com o doutor Manoel de Nóbrega, da Escola Paulista de Medicina (Unifesp), responsável pelo laboratório de crianças portadoras de deficiências auditivas. Trata-se de uma dos maiores especialistas em perda de audição do país. E ele é categórico ao afirmar: os jovens de hoje estão semeando a surdez que enfrentarão no futuro. Mais: a continuar o uso abusivo de MP3 players e fones de ouvido, eles no futuro acabarão ouvindo menos que seus pais.

- Desde 2006, a comunidade científica vem levantando a questão. Nessa época, saiu um importante estudo da Universidade de Boston (intitulado "First Guidelines For Safe Levels Of IPod Music Listening, University of Colorado at Boulder and Children's Hospital in Boston"), que já indicava a gravidade do problema. É sabido e definitivo que há perda auditiva induzida pelo ruído. O que acontece é que há também uma perda induzida pela música. Há uma relação entre a intensidade do uso e a perda de audição - explica.

Se o usuário de iPod é exposto a 90 decibéis de ruído, ele pode ficar exposto a 8h por dia sem grandes riscos. Mas cada vez que se aumenta 5 decibéis, cai pela metade o tempo em que ele pode ficar exposto ao barulho. Com 95 decibéis, ele só pode ficar exposto a 4h; com 100 decibéis, o tempo é de 2h; com 110, é de 30 minutos; com 115 decibéis, é de 15 minutos. A partir de 100 decibéis a coisa começa a ficar perigosa, mesmo que a música seja de qualidade.

Ainda segundo o especialista, há dois tipos de perda auditiva quando se fala na relação com a música em alto volume. A primeira é a perda transitória. Uma pessoa que passa um tempo numa boate, por exemplo, sai um tanto surda de lá mas depois volta a ouvir normalmente.

- Por isso precisamos pedir repouso auditivo para a realização de exames - diz o médico.

Outro tipo de perda é a contínua, que causa desenvolvimento de perda auditiva na qual não há retorno. Aqui se encaixam os usuários constantes de tocadores de música encaixados no ouvido.

Além do volume da música que se escuta nos players, há outro tipo de perigo rondando a vida dos amantes da música digital. Os fones de ouvido podem ser prejudiciais à saúde da audição. Os do tipo intra-canal (aqueles que "enfiamos" dentro do ouvido) são os piores, uma vez que amplificam os sons em até cinco vezes.

- Há inclusive fones de ouvido com controle de volume, com possibilidade de aumentar o ganho do aparelho (ou seja, fazer com que a música fique mais alta). O melhor fone é aquele que tem maior isolamento acústico. É um absurdo quando você vê aquelas pessoas ouvindo músicas no iPod e as pessoas ao redor escutam junto com elas. Ou seja, o volume está alto demais!

Outro alerta: todo cuidado é pouco para quem acha que está agindo certo ao usar fones em apenas um ouvido. Segundo o doutor Manoel, a prática é outro absurdo.

- Dessa forma, essa pessoa vai desenvolver perda auditiva assimétrica e pode levar anos para instalar a surdez. Agora ela não vai sentir nada. Mas os adolescentes ficarão surdos antes dos pais. Olha que situação mais trágica! Além disso, quem usa esses fones tem alterações na concentração e na atenção. Dirigir com fones é problema sério, porque dessa forma você prioriza a visão frontal. Outros perigos do uso prolongado do fone são o desenvolvimento de dermatites e eczemas nas orelhas.


Afinal, qual é o melhor fone? Segundo o especialista, o que tem formato de concha.


- Hoje, mais do que informação sobre o assunto é preciso divulgação dos males causados pelos fones e pela exposição a níveis muito alto de ruídos.