Aerodinâmica, posicionamento em cima da bike e desempenho / by Joaquim Ferrari

Lemond x Fignon.jpg

O que é mais importante dentre as variáveis acima?

Precisamos considerar que em torno de 70% do arrasto aerodinâmico é representado pelo corpo do ciclista. 

Dessa forma nada adianta um investimento em equipamento se o atleta não souber se posicionar em cima da bike.

Quanto maior o ciclista maior o percentual do arrasto representado pelo corpo em relação a bike e quanto menor o ciclista menor o arrasto representado pelo corpo.

Isso nos leva a entender que o investimento em equipamento é muito mais importante em atletas pequenos e a medida que o atleta vai aumentando de tamanho essa importância se reduz. 

Isso em termos percentuais.

Quando se pensa em desempenho as duas variáveis precisam ser observadas.

Outra conclusão lógica é que é muito mais barato e eficiente ficar "escondido" do vento durante todo o percurso de bike do que usar todos esses equipamentos e ficar a todo momento saindo do clipe e etc.

Falando em termos de equipamento os testes em túnel de vento mostram que os guidons com clip e o capacete, nessa ordem, são os melhores investimentos a serem feitos quando se deseja reduzir o tempo na etapa de bicicleta.

Em 1989 o tour the France foi palco de uma virada histórica na última etapa, um contra relógio, quando Greg Lemond se sagrou campeão tirando uma diferença de 50 segundos para Laurent Fignon. 

A diferença na escolha de equipamentos e a postura na bike vocês podem ver nas fotos.

Até hoje a média de 54,55 km/h conseguida por Lemong é a segunda melhor média num contra relógio no Tour.